Todos os dias era um conflito entre os irmãos de como lidar com o Alzheimer de nossa mãe , discussõe...
Ver Todos






Missão Home Angels

Oferecer cuidado humanizado com respeito às necessidades físicas, emocionais e culturais de nossos clientes. Preservar a rotina familiar e estimular a independência de nossos assistidos.

Somos
seres humanos
cuidando
de seres humanos

NOTÍCIAS

Veja as pessoas que recomendam a Home Angels

Home | Notícias



Muito falada e estudada contudo não compreendida, a Depressão é considerada por muitos estudiosos da área como a Doença do século XXI, pois de acordo com as estimativas, cerca de 15 a 20% da população mundial sofre com a Doença. Esta apesar de prevalecer no século XXI, esteve bastante presente nas sociedades antigas na forma de outro nome, como o banzo, estado de grande apatia e inanição, que apresentavam muitas pessoas trazidas da Àfrica, como mão-de-obra escrava durante o período de expansão das potências europeias no século XVII-XVIII, decorrente das saudades do seu lugar de origem ou de uma pessoa em especial, o que, às vezes, podia levar à morte. Também, as mulheres Atenienses, que se encontravam confinadas às suas casas, sofriam de Depressão.A Depressão, no passado, não foi apenas estudada, mas relatada em forma de arte pelo pintor Vincent Van Gogh com a pintura "Aos Portões da Eternidade" literalmente traduzida que foi feita alguns dias antes do pintor se suicidar.

A pintura descreve uma figura solitária: um homem velho sentado numa cadeira, apoiando as suas mãos apertadas contra a sua face, em completo desespero. É uma reflexão clara do próprio estado mental de Van Gogh nos seus últimos dias. Sempre em conflito com a vida e consigo próprio, a sua existência, em tudo o que dela se conhece, foi a de um homem em luta constante com o seu Eu , dono de um sofrimento avassalador, de um espírito que nunca conseguiu encontrar-se, senão com as suas telas, únicas entidades com quem se identificava, a quem tinha a coragem de confessar os seus tormentos íntimos. Fez da tela o seu confessionário e das cores que para ela transpunha, as mensagens ditadas pela sua alma irrequieta, cheia de luminosidade por um lado e sombria por outro, uma alma vagabunda, que não encontrava um porto em parte nenhuma. 



Nesta semana onde se comemora o dia do idoso um relatório das Nações Unidas nos mostra que em 2050 a população estimada de pessoas com mais de 60 anos chegará em 2 bilhões de pessoas no planeta.


 


Vários estudos de institutos de pesquisa mostram que nos domicílios brasileiros a população na faixa etária de 60 anos , arca com uma boa parte das despesas da casa mais precisamente em 50% destes lares e o mais interessante , 80% se declaram independentes para as tarefas do dia a dia e muitos tem o costume de viajar , cerca de 60%.Os estudos concluem que é uma fatia importante da população de consumidores ativos.


 


Outra pesquisa realizada por cientistas sociais  nos mostra o perfil do idoso para anos futuros.


Será um idoso tecnológico, que tem tatuagens no corpo e quem sabe piercings, adora jogos virtuais , 100% conectado nas redes sociais, antenado politicamente  , com um melhor nível de escolaridade e renda do que seus avôs além de estarem com uma aparência mais jovial graças as tecnologias em saúde.


Alguns com mais de um casamento, com uma vida autônoma e menos filhos.


Nesta pesquisa a única semelhança com os dias atuais é que os vovôs do futuro continuarão a reclamar que os filhos e netos não lhe dão a atenção devida e muitas vezes com o interesse único de que os idosos não dêem despesas e quem sabe lhe tragam recursos.



O que você chamaria de “uma semana normal” para você? Seria aquela semana em que, obviamente, você executou suas atividades básicas como qualquer ser humano para manter-se vivo, tais como: alimentar-se, fazer sua higiene, colocar as roupas adequadas conforme o momento e o clima, dormir. Seria também a semana em que você cuidou de sua vida pessoal envolvendo-se em tarefas relacionadas à suas finanças, à manutenção e administração de sua casa, aos cuidados com sua família e o seu animal de estimação. Seria também a semana em que você tratou de coisas relacionadas com o desdobramento de seu potencial, tais como estudar e ou trabalhar. E, nesta semana, você também separou algum tempo para estar com aqueles que você ama e também a fazer algo por pura satisfação e bem-estar de seu corpo-alma-espírito. É isto que denominamos de Rotina Ocupacional – atividades distribuídas ao longo do dia e da semana de acordo com seus desejos e necessidades, potenciais e limitações.


E o que acontece quando um adulto ou uma criança adoecem, ou com o idoso cujas capacidades para vivenciar esta rotina em sua plenitude com autonomia e segurança, degeneram-se naturalmente com o passar dos anos, ou mesmo com aquela criança que já veio ao mundo com limitações em suas funções para se desenvolver como as demais?


Estas pessoas, em algum momento de suas vidas, necessitarão de ajuda profissional em casa ou no ambiente hospitalar para… manterem-se ativas! Afinal, vida não se define somente por um organismo que respira e, em peito, bate um coração. Vida com plenitude define-se, antes de tudo, pelo envolvimento em atividades adequadas ao status biológico, psíquico, social, cultural e ambiental onde este ser humano se encontra.


Este é o conceito que familiares e cuidadores precisam ter em mente quando resolvem buscar ajuda para seus entes queridos viverem plenamente, tendo uma rotina ocupacional adequada.


Prezando por este conceito, a Unidade Pinheiros/Jardim Europa, da Home Angels (http://www.homeangels.com.br/sp-pinheiros/) , empresa que atua no município de São Paulo,  procura selecionar muito bem os cuidadores que aloca após criterioso levantamento das necessidades do paciente e de suas famílias, para que o nível de abordagem técnica e humana seja condizente com o perfil da situação.


Igualmente, a Unidade disponibiliza uma Terapeuta Ocupacional cuja função específica é justamente a de promover a estruturação ou reestruturação da Rotina Ocupacionaldos pacientes assistidos, a qual:


?  É fator fundamental para potencializar a ação de toda a equipe multiprofissional, auxiliando a colocar em prática as orientações da equipe no cotidiano do paciente;


?  Integra o paciente, família e cuidador de forma devidamente estimulante e adequada ao  contexto biopsicossocial que envolve o caso;


?  Contribui com o manejo do estresse crônico que pode estar presente em situações que provocaram  mudanças importantes na rotina e na dinâmica sociofamiliares.


 






Solicite uma avaliação diagnóstica gratuita

Para expor suas necessidades e conhecer nossos planos e atendimento,
contate a Home Angels mais próxima